Quem sou eu?

Danka Maia é Escritora, Professora, mora no Rio de Janeiro e tem mais de vinte e cinco obras. Adora ler, e entende a escrita como a forma que o Destino lhe deu para se expressar. Ama sua família, amigos e animais. “Quando quero fugir escrevo, quando quero ser encontrada oro”.

Já Conhece as minhas obras? Vem!




Olá Galera! Olá Ciganas! 
Deixo aqui um resumo de algumas dos meus livros, mas você pode conhecê-los através do:



                    

Drama. Preconceito. Amor. Paixão. Sexo. Isso nem define o que você está prestes a ler.
Uma história de amor nascerá onde a vida escreveu um ódio mortal. Quando os caminhos de poderoso Istvan Yotuel e Diana Lorn se cruzam num quarto de um flat eles jamais imaginariam como suas vidas jamais seriam as mesmas. 
Istvan é um homem atormentado por uma tragédia em sua vida. Na tentativa de continuar existindo de algum modo ele se joga nos braços de prostitutas nas noites das quintas-feiras. Até que em uma madrugada tudo muda. Onde havia trevas surgiu à luz. Onde havia dor entrou cura. Onde havia morte entrou vida. Onde não existia Istvan nasceu Diana, e mudou toda sua história. 
Permita-se a embarcar nessa história. Seja o seu juiz ou seu advogado. Permita-se!





Baldur Oman é o segundo herdeiro na sucessão real, com a morte prematura se seu irmão, ele assume o trono de Montequier, um país europeu. Até aqui quantas vezes você já começou uma história assim? E seria mais um clichê, se não fosse por um detalhe: Baldur tem um segredo nefasto. Por fetiche ele é um garoto de programa que possui uma lista um tanto peculiar e elaborada por ele mesmo.
Baldur é conhecido no mundo da prostituição como O Rei. 
Mas na sua lista, só cabem mulheres casadas, com mais de trinta anos e loiras, que carinhosamente as intitulam como Lacaias. Mas por quê? Qual será a razão para fazer deste homem tão poderoso e imponente satisfazer-se de um modo tão peculiar?
Como qualquer monarca, mesmo nos dias atuais, o reino de Montequeir escolheu para Baldur a mão de uma dama a sua altura. A Duquesa Mármara de Tucheir. Uma jovem de gênio forte, determinada e que como ele também guarda um mistério tão ou mais obscuro.
Num jogo de muito mistério e sedução você embarcará na viagem erótica mais avassaladora de sua vida. Prepare sua alma, pois o seu corpo já o pertence!






A Lenda despertou! As águas do seu coração jamais serão as mesmas!
Rudá é filho do boto. Um homem sedutor envolto num mistério que sempre o fez sentir como uma espécie de maldição. De quem não pode amar ou ser amado embora tenha qualquer mulher só de olhar para ela. Ele segue sua vida se isolando do mundo encantando as mulheres que cruzam seu caminho até que Yara cruza seu caminho na beira de um igarapé. Algo acontece. Pela primeira ele não consegue adivinhar o nome da moça, algo comum para ele até então. O Destino cria sua ironia enquanto uma história de amor surge com as forças das águas amazonenses. Mas será que esse amor é possível? Será que o amor é mais forte do que a lenda? 
Embarque nessa trama contada em pleno 2017. 
Permita-se!





Terra. 2042. Deserto de Montequier. 
Num futuro distante, o mundo foi submetido a uma condição onde o Sistema dominou absolutamente tudo. A democracia deixou de existir por ineficácia. O sistema controla tudo e todos, mas quem pode controlar o Destino? Uma menina, um guerreiro? 
Ele amou a vingança. 
Ela apenas uma mulher que se atreveu amar sob qualquer circunstância.
Um futuro onde o sexo se tornou obsoleto e somente os primitivos, raríssimos, ainda comentem a luxúria da carne. Ikanaton é um homem que domina o Deserto de Montequier e lidera uma guerrilha contra o trono do homem que ele chamou de pai.
Um tempo de fome e alta tecnologia veio sobre o planeta Terra em 2025. Foi como separar o joio do trigo. Os mais necessitados foram diretamente afetados, um terço da população foi dizimada pela forme. Porém parte se manteve no planeta com novas leis de ordem mundial. Novos conceitos. Ideias retrógadas.
O sexo foi banido. As pessoas se relacionavam no ato de seus corpos por chips de pensamento. Somente os chamados de primitivos ainda usavam a mesma prática com o toque. 
Um guerreiro conhecido por ser implacável e que se rebelou contra o sistema imposto pelo mundo. Que tem ao seu dispor um Harém de mulheres, Bayt Sarur, a Morada Dos Prazeres quer levar a sua alma para junto dele. Um homem cruel, enegrecido por uma obsessão descabida, mas muito sedutor. Um guerreiro que está disposto a dominar o seu coração.
"Eu Sou o Deserto. E o Deserto sou eu". Ikanaton Oman 


 EM REVISÃO!





Blanka é uma aclamada bailarina clássica que alcançou o estrelato em muito pouco tempo,com uma herança cigana latente em suas veias,ela veio para ficar,porém essa ascensão despertou grandes inimigos. Embora seja uma mulher jovem, corajosa e exuberante, ela guarda um segredo que pode mudar e causar a maior reviravolta de sua vida.
Do outro lado, está o ator Noah Stein,um homem famoso,rico lindo,mas solitário e em busca da solução de um enigma.Uma frase que o atordoa em seus sonhos:
"Três motivos de sangue, três motivos de dor, três motivos sofrimento, três motivos de amor."
Até onde o destino traça a história de uma pessoa?
Poderia uma bela história de amor começar pelo fim?
É o que vai encontrar lendo Blanka.
Descubra! Desvende!






Trilogia: Sol



Disse um sábio: 
" Livre arbítrio é plantar o que bem quisermos.
Justiça é colher exatamente o que se plantou."
Velkan Kobak é um homem que sabe exatamente o que quer para sua vida. Dedicou metade dela em prol de uma meta que chamou de "Meu Plano Maior."
Um homem tenebroso...Enegrecido...Cruel... 
Dieglê Sued é musicista. Violoncelo e o piano são suas maiores paixões. Uma moça bem educada, mas com um passado perturbador.
Dieglê Sued e Velkan Kobak Tem passados muito semelhantes. Porém num espaço no tempo foram deixados para que em algum momento vivessem seus Destinos lado a lado. A música os conduz. Ele é um homem de quarenta anos de idade, entretanto que oculta segredos avassaladores de sua índole devido uma única razão:Vingança.
Dieglê é uma moça de vinte e um anos de idade que embora tenha aparência singela, é na verdade uma mulher muito corajosa e intrépida.
Até onde o Destino os levará?
Romance... Amor... Conquista... Superação... São os ingredientes desta trama.
Mas o que duas pessoas tão distintas podem ter em comum?
Uma história de amor irá começar.
O Olhar da vingança os acompanhará.
Entre eles esses dois sentimentos duelaram até a morte...
Quem vencerá?
Até onde tudo de fato pode ser perdoado?
Esse julgamento começara agora, e você foi escolhido para dar o veredito.
Culpado ou Inocente?





A chegada da jovem viúva Amábile Fontaine causa alvoroço no pequeno Condado dos Nobres. Depois de uma tragédia pessoal e tentativas de suicídio tudo que a ela deseja é estar em contato com o último vínculo entre ela e o seu amado e falecido marido Augusto: o mar. 
Escondida da civilização a moça se depara com um inesperado e esquecido farol. Entre tantas ruínas ele consegue lhe causar imensa irritação diante de sua luz. 
Aos poucos toda implicância vai se tornando certa curiosidade até o dia em que faz uma visita as escondidas a casa de Madame Zuleica, a curandeira da vila.
Seu futuro está no mar. Ela ouviu da vidente. 
Amargurada por sua dor ela decide escrever suas cartas e colocá-las dentro de garrafas lançando-as ao mar na esperança de que os dois mundos, dos vivos e dos mortos possam se conectar. Mas o que Amábile Fontaine não imagina é que sua vida está prestes a experimentar a mais rica e sublime forma de amor. Aquela que o Destino escreve a próprio punho.
Amor, desencontros, amizade e paixão fazem parte dessa trama, mas o que ela realmente busca é se atrever levar o seu coração através do tempo.
Permita-se, a vida nem sempre escreve em folhas de papel, às vezes ela escolhe as ondas do mar como linhas, um farol como luz, uma cabana como lápis e dois corações prontos para pertencerem um ao outro.






"Eu sou um homem marcado pelo sagrado. Meu coração está nos céus, mas o meu corpo ainda está em suas mãos".
Você precisa ler essa confissão. Essa é uma história de amor escrita pelo destino e quebrada por mãos humanas.
Amor. Angústia. Romance. Mágoa. Sexo. Traição. 
Benício Tigre fez tudo pela mulher que amou a vida inteira, mas parece que não foi suficiente. Para algumas pessoas tudo jamais será o bastante. Em algum momento da vida alguém já sofreu a dor do abandono. Alguém sabe o quanto isso pode destruir a vida de alguma pessoa. Nem sempre o tempo passa pelas pessoas, às vezes são as pessoas que passam pelo tempo.
Uma vida dupla, um amor único e uma dor gigante foram o bastante para levar Benício para um caminho desconhecido, perigoso que o levou para os braços da luxúria e para algo que ele jamais imaginou.
Você está pronto para entrar neste confessionário? Sua confissão será feita e diante dela você poderá confessar até aquilo que nunca fez.
Prepare-se, ajoelhe-se e reze para sair vivo dessa trama.



Em uma tarde de sexta-feira um encontro foi marcado na fila de um banco. Diná e Môka se olharam tendo a certeza de que nunca mais deveriam se separar. Mas uma sucessão de erros afastam esses dois corações. Apaixonados perdidamente um pelo outro, descobrem que devem lutar contra todas suas forças para evitar esse envolvimento.
Uma classe de aula com tanta ironia. Um amor abafado. Um filho escondido. O tempo passa. O sentimento não. A boca mente o corpo nunca.
Nessa linda história de amor Diná e Môka aprenderam com muitos erros que o verdadeiro amor jamais morre. Do amor não se foge, se esconde, mas, por um tempo.
A frase desse enredo se define por: “Não deixe de dizer o que precisa ser dito”.
Permita-se! O que foi escrito jamais deixará de ser vivido.







Em breve aqui no blog e no Amazon!


Compartilhar:

Na sala com Hilda: A viagem


Em breve farei uma viagem. Não me olhe assim. Sei que poderia ter mandado a secretária ligar e avisar mas achei por bem dar essa notícia para você.
Não me olhe assim, sei que reclamo sempre desse trânsito caótico e nem por isso sei viver sem trafegar e reclamar.
Você notou?
Ando fumando bem menos e estou dormindo quase cinco horas e já achei um avanço, tá bom, sei que não acha, mas me deixa ficar feliz um pouquinho.
Sonhos?
Não...Nem tanto, não como era antes. Estranho não acha?
Eu adorava sonhar e logo pela manhã corria para aqueles caderninhos de bancas que falavam sobre os sonhos e quando eu não gostava do significado, dizia que era apenas um desabafo da mente, agora, se era coisa boa eu esperava ansiosa e bem comportada a boa sorte chegar...
Ah, quer saber para onde estou indo e se vou demorar...
Eu não sei a resposta. A viagem foi ideia da minha família, e sabe como é pela família sempre fazemos o que queremos e o que não queremos. Bom, agora já estou indo preciso arrumar as malas, já que em terras sem esse  wi-fi os meus livros vão valer ouro.
Assim que eu retornar prometo remarcar a nossa conversa.
Au Revoir

Os passos não eram mais apressados como antigamente e o ponta de agulha ainda sabia brilhar sobre aquele chão frio de mármore.

Essa coluna é uma criação de Roberta Del Carlo. 


👩
Compartilhar:

Na sala com Hilda : A Espera


Mais uma vez estamos aqui. 
Eu aqui e você ai, esperando...
É engraçado como estamos sempre esperando por algo e não estou falando da mãe que espera o filho nascer ou a espera da hora para deixar o trabalho, o que estou querendo dizer é que sempre estamos esperando algo em algum momento da nossa vida, sempre esperamos por alguma coisa que vai nos salvar do calvário. Já parou para pensar nisso?
Esse olhar que  lançou agora é para saber se espero algo? 
Não.
Eu não espero mais nada da vida, não me dou o luxo de esperar e sabe o motivo ? 
Porque  sou de realizar...

Até a próxima semana?
Bye.


 O som do salto cortava o silêncio do corredor frio daquele edifício do centro da cidade, naquela tarde fria de Outono. 




Essa coluna é uma criação de Roberta Del Carlo. 


👩

Compartilhar:

VOCÊ NÃO É TODO MUNDO por Danka Maia


 Resultado de imagem para VOCÊ NÃO É TODO MUNDO

     Marina e Iago eram os típicos mãe e filho modernos. Ela vivia para o trabalho e para ele, dividiam agruras, alegrias, mas Marina era o tipo de mãe durona daquelas que não aceitava de modo algum que o filho pudesse ser como o outro meramente. Toda vez que o Iago fazia algo a resposta dela era sempre a mesma:
— Você não é todo mundo!
As notas chegavam, o garoto tentava se justificar:
— Mãe, todo mundo tirou nota ruim, não fui só eu!
Lá vinha Marina:
— Você não é todo mundo!
Dias se passavam e o Iago aprontava na rua com os demais moleques da mesma idade.
— Mas mãe...
— Você não é todo mundo!
Até que houve um dia que a nota do menino que era das melhores despencou e Marina o repreendeu:
— O que aconteceu filho? Todo mundo tirou nota boa, todos! O menino a olhou  e rebateu a altura:
— Mãe, eu não sou todo mundo.
Marina se calou e engoliu aquilo como um elefante atravessando a garganta. Passaram anos, Iago cresceu, entrou na faculdade, Marina viveu e então enfim ela errou. Porque para errar basta ser humano, não carece ser pai ou mãe. Envolveu-se num amor que não era amor, perdeu a casa, o emprego, e a única coisa que restou foi esclarecer ao filho a situação. Entretanto, o que doía na mãe era explicar ao filho que ela havia errado. A necessidade falou mais alto e ela simplesmente encheu o peito de coragem e sentada no sofá do apartamento do seu menino desabafou.
Iago a escutou com toda atenção, abraçou, beijou, e passando as mãos pelos seus cabelos  disse:
— Mãe, você é como todo mundo. Todo mundo erra, todos nós em algum instante da vida entra em colisão, cai,machuca. Tudo bem mãe, não há nada censurável em ser como todo mundo inda que continue sendo a melhor mãe do mundo.
Sabe leitor, devemos ter cuidado com o que ensinamos aos nossos filhos, na ânsia de esculpir o bem ou tentar acertar no alvo o mais próximo possível esquecemo-nos de ensiná-los um dos sentimentos mais belos e íntegros: A compaixão. Por que afinal de contas que tipo de ser humano educa se não o ensinamos a reconhecer que o outro pode errar inda que seja tentando acertar?
Ninguém é como ninguém e nem tem que ser.
Bora ser cada um!


Compartilhar:

Olhos Alheios



Resultado de imagem para olhar alheio




Certa vez, um grande amigo do poeta Olavo Bilac queria muito vender uma propriedade, de fato, um sítio que lhe dava muito trabalho e despesa. Reclamava que era um homem sem sorte, pois as suas propriedades davam-lhe muitas dores de cabeça e não valia a pena conservá-las. Pediu então ao amigo poeta para redigir o anúncio de venda do seu sítio, pois acreditava que, se ele descrevesse a sua propriedade com palavras bonitas, seria muito fácil vendê-la.
E assim Olavo Bilac, que conhecia muito bem o sítio do amigo, redigiu o seguinte texto:

"Vende-se encantadora propriedade onde cantam os pássaros, ao amanhecer, no extenso arvoredo. É cortada por cristalinas e refrescantes águas de um ribeiro. A casa, banhada pelo sol nascente, oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda."


Meses depois, o poeta encontrou o seu amigo e perguntou-lhe se tinha vendido a propriedade.
"Nem pensei mais nisso", respondeu ele. "Quando li o anúncio que você escreveu, percebi a maravilha que eu possuía."
Algumas vezes, só conseguimos enxergar o que possuímos quando pegamos emprestados os olhos alheios.


Resultado de imagem para amigo pediu para olavo bilac
Compartilhar:

A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo!

Suicídio _ Remédio (Foto: SXC)

Relatório afirma que um milhão de indivíduos decidem tirar a própria vida a cada ano. Entre jovens de 10 a 24 anos, esta é a segunda maior causa de morte.





A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. Ou seja, por ano, um milhão de indivíduos decidem tirar a própria vida. Atualmente, 55% destes têm menos de 45 anos idade - em 1950, por outro lado, 60% dos suicidas eram mais velhos que isto. Os dados são de um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado nesta sexta-feira (7).
O suicídio é a terceira causa de morte mais recorrente entre as pessoas de 15 a 44 anos. Já entre os jovens de 10 a 24 anos, o suicídio constitui a segunda maior causa de morte. Os índices entre os jovens aumentaram tanto que em um terço dos países esta faixa de idade é considerada a de "maior risco" pela OMS.
"As causas exatas do porquê desta mudança de tendência não sabemos. É um fenômeno que afeta todos os países e que está aumentando, mas as razões principais não as conhecemos, são muitas, variadas e mudam muito de caso a caso", disse Alexandra Fleischmann, do departamento de Saúde Mental da OMS.
Em geral, as mulheres realizam mais tentativas de suicídios do que os homens, mas estes são mais efetivos porque usam métodos mais radicais (como armas de fogo ou pesticidas) do que elas, que abusam de remédios.
Os fatores que determinam uma tentativa de suicídio são múltiplos e variados - psicológicos, sociais, biológicos, culturais e ambientais -, mas, generalizando, a OMS afirma que as desordens mentais (depressão e uso desproporcional do álcool, especialmente) são um fator maior de risco na Europa e nos Estados Unidos, enquanto nos países asiáticos o impulso "representa um papel essencial".
"Por exemplo, nas zonas rurais da Ásia há um grande problema com os pesticidas. Em uma situação de desespero, os agricultores tomam impulsivamente o pesticida e morrem rapidamente", afirmou Alexandra.
"Além disso, nas zonas remotas, o acesso aos estabelecimentos de saúde é muito mais difícil. Se a tentativa de suicídio é realizada em um apartamento de uma grande cidade desenvolvida, essa pessoa pode ser levada de urgência a um hospital e ser salva", disse.
Com relação à América Latina, a região mantém tradicionalmente baixos níveis de suicídios, apesar de existirem grandes diferenças entre os países, como revela o 1,9 por cada 100.000 homens peruanos que tiram a própria vida, frente aos 26 por cada 100.000 dos homens uruguaios.
"Tradicionalmente as taxas na América Latina se mantiveram baixas, mas vemos a mesma tendência que no resto do mundo, ou seja, o aumento dos índices, sobretudo entre os jovens", afirmou a especialista.
Alexandra explicou que os recentes estudos revelam que apesar dos países escandinavos continuarem tendo altas taxas de suicídios, o fenômeno se estende na Europa do Leste e, particularmente, na Ásia, "em grandes países como China e Índia, com uma grande população e com imensos problemas ligados ao desenvolvimento e à globalização".
Consultada sobre o aumento de suicídios relacionados à crise econômica que afeta alguns países da Europa, Alexandra afirmou que, na maioria dos casos, as pessoas que os cometeram eram previamente "vulneráveis", e a pressão só exacerbou a situação.
Perante isto, a OMS recomenda atuações multidisciplinares, como a formação do pessoal de educação e saúde, a restrição do acesso aos métodos (pistolas, pesticidas, remédios), "cuidar" da apresentação pública dos casos (evitar publicá-los na imprensa), entre outros.
A especialista alertou sobre o perigo que representa a falta de consciência sobre a importância do problema e o fato de que seja um tema tabu em muitas sociedades.


 

 

Compartilhar:

O Mistério da Família Matarazzo

O Mistério da Família Matarazzo



Existe uma lenda muito famosa no Cemitério da Consolação em São Paulo....
Muitos contam que quando uma da filhas do Comendador Ermelinno Matarazzo estava sendo enterrada no Mausoléu da Família, um dos coveiros...o mais jovem desmaiou no meio de todas as pessoas...e começou a sangrar, na época, ele tinha apenas 23 anos estava no emprego há 2 meses...Até hoje, não descobriram a causa da morte...E muitas pessoas dizem que escutam gritos de lamentações perto do Mausoléu...outras dizem ter visto o coveiro sentado por ali...olhando para o belo Mausoléu do Comendador.
Ainda dizem que ele vaga por todos os cantos do Cemitério...e todas as noites fica sentado no túmulo que está em frente ao mausoléu dos Matarazzo.
Veja análise das fotos.

Resultado de imagem para O Mistério da Família Matarazzo



Imagem relacionada
Compartilhar:

Na sala com Hilda : A primeira visita.


Já estamos aqui quinze minutos e não trocamos nenhuma palavra.
O seu tempo é precioso? O meu também é e quero que saiba disso.
Sabe, ficar aqui sentada não vai resolver nada, não vai resolver a minha falta de fé na humanidade, não vai mudar o que eu pensei sobre a minha empregada que nessa manhã que me trouxe café morno e todo mundo daquela casa sabe que eu só tomo chá com cinco gotas de limão.
Ela achou que eu não notaria?
Sabe de outra coisa que detesto e nunca vai se resolver é essa mania que as pessoas tem de serem pagas e ainda executam muito mal todo o serviço. Detesto!
Essa palavra “detesto”, é diferente não acha?
Vamos falar juntos, vamos lá:
Detesto. Detesto. Detesto!
E quase o som da palavra protesto.
Eu protesto senhor excelentíssimo!
Divertido, não é?
Bom, já melhorei o meu humor então já está na minha hora, semana que vem no mesmo horário? Ótimo.

O som do salto cortava o silêncio juntamente com o som da batida da porta de madeira, e em seguida a sala fria voltava para a velha rotina: o silêncio.


Essa coluna é uma criação de Roberta Del Carlo. 


👩
Compartilhar:

Na Sala com Hilda


Cada postagem uma conversa rápida e sempre filosófica.  

Uma sala.
Uma voz.
Conflitos.

Estão todos convidados à participar dessas conversas leves e curtas na Sala com Hilda.

Toda sexta-feira um assunto diferente.


Essa coluna é uma criação de Roberta Del Carlo. 

Compartilhar:

COMPLEXO DE CINDERELA... SERÁ QUE VOCÊ TEM?

COMPLEXO DE CINDERELA...
SERÁ QUE VOCÊ TEM?




PRIMEIRO O BÁSICO:

O Complexo de Cinderela é uma patologia neuro-psicológica que afeta certos segmentos da população do sexo feminino. O fato é que nem a própria Cinderela sofria disso, pois na época dela, ou a mulher tinha um bom casamento como futuro, ou não havia mais nada, pois mulher não podia trabalhar nem fazer faculdade. Agora, quem tem essas possibilidades e as recusa, sofre deste complexo.

Recentemente ouve-se falar do Complexo da Cinderela, mas o que é afinal esse “complexo” e ao que é que se deve?
O complexo da Cinderela foi criado em inícios da década de oitenta, por Collete Dowling uma psicóloga norte-americana.
Essa mesmo autora descreve, que o “complexo da Cinderela” ocorre quando existe um sistema de desejos reprimidos, memórias e atitudes que tiveram sua origem na infância. Neste fenômeno existe uma crença da menina ou princesa vai ter sempre alguém que a proteja e que a sustente, tal como acontecia com a Cinderela e o príncipe.


Independentemente da idade, dentro dessas mulheres, existe uma criança que vive assombrando todos os níveis da sua vida, criança essa que ambiciona ter um “príncipe perfeito” que a proteja e lhe proporcione uma vida sem esforço e sem perigos. Consequência dessa crença, existe uma insegurança em vários níveis da vida, dando origem a todas as espécies de medos e dúvidas.
Por consequência desses medos, insegurança e desse príncipe que nunca mais chega, as mulheres que sofrem deste complexo, subestimam-se a elas próprias, autos sabotando-se e menosprezando-se.
Quando de fato encontram alguém ou um “príncipe”, as mesmas crenças que sempre o ambicionaram, podem provocar o seu abandono. Pois devido a essa crença, elas tornam-se extremamente dependentes, ao mesmo tempo que elevam as expectativas ao máximo. Esperando que aquele “príncipe” lhe dará o mundo e fará todas as suas vontades. Isso irá provocar, por um lado continuas decisões, ao mesmo tempo que “asfixia” do “príncipe”. Por mais que o “príncipe” a valorize, nunca chegará. Além disso é obvio um sentimento transversal de incompetência e conformismo, pois abdicam de desenvolver as suas competências e conhecimento, por esperarem o “príncipe”.
Para mulheres com este complexo, necessitar de trabalhar pode significar, que aquele não é o “príncipe”, pois se fosse, não necessitariam.
Este complexo teve origem na educação, na cultura e nas sociedades essencialmente ocidentais. Pois durante muito tempo, o papel da mulher era ficar em casa, não trabalhavam, pois a sociedade de forma geral, via o trabalho, o estudos e o conhecimento, quase exclusivo para os homens. Assim sendo, desde muito cedo, as pequenas mulherzinhas eram educadas/formatadas para serem “princesas”.




Gradualmente a sociedade veio-se alterando e com ela a educação. Atualmente já existem mais mulheres no ensino superior que homens. As mulheres têm acesso à informação, ao trabalho, tal como os homens. Contudo ainda muitas recusam todas essas oportunidades de evolução pessoal e profissional, centrando-se exclusivamente no “casamento de sonho”.
As mulheres com esse complexo, possuem baixa tolerância à frustração, pois a sua competência de resolver problemas é muito escassa. Não são educadas para ser independentes ou autônomas, mas dependentes de um “príncipe”. Desistem com facilidade de algo que não tenha a ver com o seu “casamento” ou o seu “príncipe”. Não vão à luta, acomodam-se.

É importante referir o forte papel na educação, destas crenças. Como estas há crenças de um emprego perfeito, de pessoas perfeitas, amigos perfeitos, dia perfeito. Provocando inevitavelmente continuas desilusões e inseguranças. É necessário ter em conta quais os conceitos que passamos para as nossas crianças, pois elas muitas vezes irão aprender literalmente. E como vimos irá influenciar necessariamente a sua vida futura a todos os níveis.



DIAGNÓSTICO E SINTOMAS



Esse famigerado problema expande-se na atualidade de maneira monstruosa. Sim, você ainda deve estar se perguntando o que diabos é o Complexo de Cinderela. Bem, faça agora o teste que propomos e depois terminaremos este artigo com mais esclarecimentos sobre tal assunto.




Teste para diagnóstico

1- Quando está sentada no sofá, inutilmente, você:
a) Lê um livro.
b) Vê um filme.
c) Chora desesperadamente porque está só e o rapaz que pegou seu telefone há cinco meses atrás ainda não ligou.

2- Faz sol, em uma tarde de domingo, você:

a) Vai à praia com suas miguxas.
b) Liga o ar condicionado do seu quarto e dorme a tarde toda.

c) Come dois litros de sorvete de brigadeiro com menta e chora porque o cara da primeira questão ainda não te ligou.

3- Suas miguxas (as mesmas da praia, afinal, você não tem muitos amigos, com mais exatidão, você tem o vasto arsenal de apenas duas miguxas) te chamam para assistir a um filme de romance, você decide:

a) Ir ver, já que você não chora em nenhum filme pois tem um coração de pedra bauxita-estalagnita.
b) Convencer suas miguxas de assistir a outro filme, tipo um terror bem tosco, como Encarnação do Demônio em que Zé do Caixão estrela brilhantemente.

c) Que vai assistir com uma condição: tem que ser AQUELE filme que vocês já viram 505456484534657 de vezes e que passa todos os dias na sessão da tarde porque, como você já gravou de cor as falas do filme, não precisa de prestar atenção e pode ficar pensando/viajando na hipótese de o rapaz (o mesmo das outras questões) DEFINITIVAMENTE ter esquecido de te ligar.

RESULTADO DO TESTE


Se você respondeu, na maioria, de todas as opções deste enorme teste, a letra C, parabéns! Você é, indubitavelmente, uma sofredora do Complexo de Cinderela. Ou seja, você fica em casa sem fazer NADA esperando que seu príncipe encantado venha para te salvar dessa vida desgraçada/medíocre. Mas não tema, um dia você supera o complexo! Após perceber que ficou para titia aos seus interessantíssimos 40 anos. Ou não...

Em casos avançados da doença, a paciente apresenta completa instabilidade emocional e neurológica, muito acima do nível já esperado para seres do sexo feminino.
 Foram relatados casos até mesmo de mulheres que, em alto grau de enfermidade, gastaram praticamente todas as suas economias em futilidades, e até mesmo um caso aonde uma paciente australiana gastou 10.000 Dólares em um outdoor para tentar achar o inexistente príncipe encantado. Tal caso foi registrado por pesquisadores britânicos como sendo "absurdamente alarmante"

Gostaram?
Fui Galera!

Compartilhar:
Proxima  → Página inicial

Agora no Blog!

Total de visualizações de página

Danka na Amazon!

Siga Danka no Instagran

Danka no Wattapad

Curta Danka no Facebook!

Seguidores

Danka no Google+

Confissões Com Um "Q" De Pecado

Entrevistas

Danka no Google+!

Danka no Twitter

Danka no Skoob

Seguidores

Arquivo do blog