Boto: O Prazer Vem Das Águas no Amazon!Confira!

sábado, 29 de novembro de 2014

Sussurros Noturnos irá reunir histórias de terror, áudio e imagem!



Em Janeiro de 2015 a Gloomy Hollow produções e o casal de escritores Ant Lima e Jessie Esseker irão lançar o primeiro áudio da série "Sussurros Noturnos" uma coletânea de contos de terror e horror narrados com audio, sonoplastia horripilante e efeitos especiais!
 
O vídeo chamada já está disponível no canal da Gloomy Hollow! Confira!



quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Veja 5 coisas que o sexo pode fazer pela sua carreira

Veja 5 coisas que o sexo pode fazer pela sua carreira

Você sabia que uma vida sexual ativa pode melhorar o seu salário? E não é só isso. Segundo um artigo de Ilya Pozin, do site Inc., o sexo pode fazer bem para muitos outros aspectos de sua vida profissional.
Mas, antes que você leve para o lado da sacanagem, saiba que estar bem no setor sexual melhora o estado de saúde geral — físico e mental —, o que colabora muito para beneficiar a realização de atividades de sua carreira. Por exemplo, os momentos relaxantes e de prazer que o sexo proporciona podem amenizar sintomas de stress e até reduzir a pressão arterial.
Isso manda para longe a irritação, dores de cabeça e o forte cansaço que a rotina de trabalho pode causar. Além disso, estar bem na vida sexual também pode fazer com que você tome melhores decisões, apresente ideias com mais clareza e fique menos propenso a adoecer. Abaixo você poderá conferir com mais detalhes tudo isso que o sexo pode fazer pela sua carreira:

1 – Salários mais altos

Veja 5 coisas que o sexo pode fazer pela sua carreira

Se você é um forever alone e vê cada dia mais o seu pequeno salário não render quase nada, talvez esteja na hora de você sair da seca para melhorar os seus ganhos (em todos os sentidos). Segundo uma pesquisa do Instituto para o Estudo do Trabalho, da Alemanha, pessoas que fazem mais sexo recebem melhores salários.
De acordo com o artigo da Inc., o estudo alemão constatou que as pessoas que fazem sexo pelo menos quatro vezes por semana ganham mais dinheiro do que seus colegas que têm uma frequência menor de relações. Mas por que isso acontece?
Segundo os pesquisadores, isso parece ocorrer porque aqueles que fazem mais sexo tendem a ser mais felizes e saudáveis, gerando um quadro de mais entusiasmo e satisfação no trabalho; melhorando ainda as decisões e também gerando menos discriminação — fatores que em conjunto levam a salários mais elevados.

2 – Redução de stress e saúde prolongada

Não há dúvidas de que o sexo deixa as pessoas mais tranquilas e relaxadas. E isso não acontece apenas logo após o ato, refletindo-se também em outros momentos do dia a dia. Por agir na redução dos sintomas de stress, como a irritabilidade e nervosismo, isso inevitavelmente se reflete na saúde geral.
Com menos stress, a saúde se mantém em dia e o trabalhador não precisa faltar no serviço durante um ou mais dias. Além disso, de acordo com um livro de Sharon Norling, orgasmos frequentes podem aumentar a expectativa de vida em três a oito anos. Tem jeito melhor de prolongar a vida?

3 – Melhora do sistema imunológico

Sabe aquela pessoa que nunca fica doente? Talvez o segredo dela vá muito além de uma boa alimentação e exercícios. O sexo é uma ótima forma de deixar o sistema imunológico em dia. Tudo porque, durante as relações sexuais, existe a produção de hormônios que influenciam na imunidade, resultando em menos faltas no trabalho por condições como fortes gripes, por exemplo.
Além disso, a desidroepiandrosterona (DHEA), que é um hormônio liberado durante encontros sexuais, tem uma série de benefícios, como a redução dos sintomas de lúpus e o alívio da depressão. E olha só mais essa vantagem: o DHEA pode até fazer você parecer mais novo.
De acordo com um estudo realizado pelo Royal Edinburgh Hospital, as pessoas nos seus 40 anos que relataram ter 50% ou mais sexo do que outros participantes da pesquisa também pareciam ser cerca de 7 a 13 anos mais jovens do que sua idade real quando julgadas por um grupo de pessoas que não as conheciam. É o segredo da juventude!

4 – Manda as dores de cabeça para longe

Além de reduzir o stress, como vimos acima, que também é um causador de dores de cabeça e de crises fortíssimas de enxaqueca em algumas pessoas, o sexo é capaz de melhorar bastante esses sintomas, que podem afastar os indivíduos do trabalho por algum tempo.
Isso acontece porque a relações sexuais liberam um hormônio chamado ocitocina (produzido pelo hipotálamo), que alivia a dor. De acordo com um estudo divulgado no Live Science, a oxitocina (também conhecida como “hormônio do amor”), que é liberada também durante o parto, pode igualmente funcionar como um tratamento para aliviar dores de cabeça frequentes.
Na pesquisa, do total de pacientes que receberam uma dose de ocitocina como um spray nasal, 50% deles relataram que a dor foi reduzida pela metade e um adicional de 27% desses pacientes não relataram dor após quatro horas. Todos os pacientes do estudo tinham uma condição chamada cefaleia crônica diária, que também causa enxaquecas graves.

5 – O empreendedorismo pode melhorar ainda mais o sexo

Ter um negócio próprio e potencializar a sua autoconfiança pode melhorar a sua vida sexual. Isso mesmo! Tomar as rédeas de sua vida profissional sendo um empreendedor pode ser um excelente afrodisíaco na sua vida.
De acordo com a Inc., uma pesquisa recente de empresários mostrou que 14% dos participantes relataram fazer mais sexo depois que largaram os seus empregos comuns de cinco dias por semana e abriram algum tipo de empreendimento.
Ou seja, o sexo pode lhe ajudar a melhorar a sua saúde e a ter salários mais altos, assim como ser empreendedor e seguir os seus sonhos pode fazer com que você tenha uma vida sexual mais ativa. Portanto, que tal experimentar as dicas para ver se a sua carreira dá aquela guinada?

5 casos paranormais que vão deixar você intrigado

5 casos paranormais que vão deixar você intrigado!

Por mais cético que você se considere, é bem possível que, em algum tempo distante, você tenha sentido medo de alguns fenômenos ou criaturas sobrenaturais. Nesse sentido, uma palavra capaz de nos deixar de cabelos arrepiados é “paranormal”. Conheça a seguir algumas histórias bizarras envolvendo esse tipo de fenômeno:

1 – O fantasma das viúvas

Fonte da imagem: Reprodução/laughingdagger
Alguns homens da Tailândia são vítimas de um fenômeno conhecido como Síndrome dos Pesadelos de Morte. Todos eles morreram enquanto dormiam, e parece que quem os matou foram espíritos de viúvas, especialmente daquelas que tiveram uma morte violenta. O objetivo desses espíritos femininos é matar homens e tornar as almas dos mortos, seus novos maridos.
Nos anos de 1990, a Tailândia viveu com medo das tais viúvas da morte e, já que esses espíritos malignos atacavam apenas homens, muitos cuecas começaram a dormir maquiados e com as unhas pintadas, na tentativa de enganar os fantasmas.
Outra estratégia, ainda mais comum do que a anterior, consistia em esculpir pênis em madeira e deixar o falso membro ao lado da cabeça da possível vítima. Isso também parecia assustar a viúva fantasmagórica. Os homens de Ban Thung Nang Oak eram orgulhosos de seus pênis de madeira, que chegavam a medir quase um metro.
Alguns medrosos até mesmo faziam espantalhos com o pênis gigante, com alguns escritos como “caçador de viúvas fantasmas”. Em um vilarejo alguns rumores diziam que as viúvas já tinham almas masculinas o suficiente e que iriam começar a matar mulheres, para dar uma variada.
A verdade sobre as mortes: autópsias realizadas nos homens que morriam dormindo revelaram que eles apresentavam sinais de desnutrição, afinal muitos deles comiam apenas arroz doce, o que causava uma grande produção de insulina e também acarretava na falta de muitos outros nutrientes.

2 – O monge de Pontefract

Em 1970 um dos maiores casos de assombração de toda a Europa aconteceu em Pontefract, na Inglaterra. O fantasma em questão ficou conhecido como O Poltergeist de Pontefract ou, para os íntimos, Monge de Pontefract. O fantasma era, teoricamente, a alma de um sacerdote morto no século XVI.
Um dos relatos a respeito do fantasma vem da família Pritchard, formada por Joe e Jean e seus filhos Philip e Diane. Os quatro afirmavam que eram atormentados por um fantasma que eles começaram a chamar de Fred. Deacordo com os relatos da família, Fred costumava jogar objetos, esfriar ambientes e deixar poças no chão. Além de tudo, Fred também roubava sanduíches de presunto e deixava as maçanetas das portas da casa grudentas.
Fred ainda tinha outro costume feio: ele transportava ovos entre os cômodos e, claro, atirava-os só para fazer sujeira. Até aí parece que Fred era um Gasparzinho um pouco mais rebelde, mas, na verdade, ele era muito mais do que isso.
Um dos acidentes mais sombrios envolvendo a presença de Fred foi quando o espírito simplesmente agarrou Diane, quando ela tinha 12 anos, e a arrastou para o andar de cima pelo pescoço. O pescoço da garota chegou a ficar marcado. Como se isso não bastasse, Fred tentou estrangular a menina com fios elétricos.
A casa foi vistoriada por policiais, psíquicos e até pelo prefeito da cidade. O local foi considerado paranormal por alguns pesquisadores. Carol Fieldhouse acredita que a história é verdadeira, afinal ela mora na casa ao lado e afirma ver o fantasma rondando a região de tempos em tempos. Ela explica que não só viu Fred como conversou com ele que, de acordo com ela, tem mais ou menos 1,65 m de altura.
Carol afirmou que o fantasma quer a casa vazia, do jeito que está agora. De acordo com ela, o espírito disse que se alguém se mudar para lá, essa pessoa vai acabar indo embora em até 12 meses.

3 – O cemitério do mal

Se você estiver em Edimburgo, na Escócia, e quiser passar um pouco de medo, visite o cemitério Greyfriars, que é famoso pelos fantasmas mal-educados que frequentam o local.
No cemitério está a tumba de George Mackenzie, um advogado do século XVII, responsável pela morte de pelo menos 18 mil pessoas, o que rendeu a ele o apelido de “Mackenzie sanguinário”.
Em 1999 um mendigo quebrou o túmulo de Mackenzie na tentativa de encontrar um lugar para se esconder do frio. Depois, ele caiu dentro do caixão e tudo começou a dar errado: o caixão desmoronou e ele, assustado, começou a correr, todo coberto de terra. Quem viu a cena foi um cuidador de cachorros, que achou que tinha visto um fantasma e entrou em desespero. O que ele não sabia era que o homem não era um fantasma e que a verdadeira assombração logo chegaria.
Várias pessoas começaram a registrar a ocorrência de eventos estranhos nos arredores do túmulo. A prefeitura até mesmo fechou o cemitério para o público até que o guia local de turismo, Jan-Andrew Henderson, marcou um tour-fantasma oficial. Desde então, 350 pessoas afirmam ter sido atacadas por um fantasma nos arredores do túmulo de Mackenzie.
Há muitas histórias de pessoas que tiveram ossos quebrados durante a visitação e 170 turistas já desmaiaram durante o tour. Há outra cova que também pode ser o motivo das forças malignas no cemitério Greyfriars.
Ali há também a sepultura de um homem chamado Thomas Riddell, nome parecido com o original de Lord Voldemort, que é Thomas Riddle. O fato atrai fãs de Harry Potter frequentemente. Será que o feiticeiro das trevas existiu na vida real?

4 – O fantasma de South Shields

Fonte da imagem: Reprodução/mikehallowell
No caso nº 2 nós falamos a respeito do que aconteceu em Pontefract, na Inglaterra, certo? Pois pertinho dali, em South Shields, outra história macabra marcou a cidade. Tudo começou em 2005, quando um jovem casal e seu filho de três anos de idade foram assombrados por um espírito maligno. O nome verdadeiro do casal não foi revelado, mas eles são conhecidos como Marc e Marianne.
Em uma noite, Marianne sentiu um cachorro de brinquedo do seu filho atingindo sua nuca. Ela acendeu a luz e viu outro brinquedo do filho voando em direção a ela. O casal se escondeu embaixo de um cobertor, mas sentiu que algo estava tentando puxar a coberta. De repente, Marc começou a gritar de dor e 13 arranhões apareceram em suas costas – na manhã seguinte, eles haviam sumido.
O fantasma demonstrou grande interesse em atacar os moradores da casa com os brinquedos do filho do casal. Itens como um cavalo de madeira e um coelho de pelúcia foram alvos do espírito transtornado, que chegou a cortar as patinhas do coelho.
Além disso, o fantasma deixou mensagens no quadro de escrever do garoto, com ameaças como “você está morto”. A família pediu ajuda aos pesquisadores paranormais Mike Hallowell e Darren Ritson. Os dois afirmaram que o fantasma era real e, inclusive, escreveram um livro sobre o assunto.

5 – O assassino de cachorros

Fonte da imagem: Reprodução/mostlyghosts
Uma família da cidade inglesa de Coventry virou assunto de jornal quando postou o vídeo que você vai ver abaixo. As imagens mostram a porta de um armário abrindo sozinha e uma cadeira sendo movida, também aparentemente sozinha, em um quarto. Lógico: o chão não aparece no vídeo. Idem para o interior do armário, então fica a dúvida a respeito da veracidade do material.
Lisa Manning, moradora da residência, afirmou que o fantasma existe de verdade, e que o espírito foi o responsável pela morte do cachorro da família, que foi misteriosamente empurrado escada abaixo. Para provar que estava certa, Lisa solicitou a ajuda de Derek Acorah, um especialista em fenômenos paranormais.
O especialista afirmou que um espírito furioso chamado Jim estava por trás das coisas que aconteciam na casa. Acorah fez um ritual e mandou o espírito embora, o que Lisa afirma ter acontecido de verdade e rapidamente. Será?
FONTE(S)

sábado, 22 de novembro de 2014

Do Lixão Até Harvard
















uma parte da infância de Justus Uwayesu
Este é Justus Uwayesu, um garoto que traçou a trajetória de um órfão vivendo no lixão até tornar-se um aluno da conceituada universidade americana Harvard. Tinha somente 3 anos de idade quando seus pais morreram em razão de uma guerra, um verdadeiro genocídio, onde aproximadamente 800 mil pessoas tiveram o mesmo destino…morte. Em seu país, Ruanda – África, distinguem-se dois grupos étnicos: a maioria hutu e o grupo minoritário tutsi. O genocídio foi um massacre do grupo hutu contra o tutsi.
campo de morte do genocídio ocorrido em Ruanda
Genocídio em Ruanda
Sempre procurando por abrigo e comida, vivendo mendigando pelas ruas sem receber o suficiente para sobreviver com seus outros três irmãos ( um irmão e duas irmãs ), viu como única solução viver num lixão em volta da cidade. Chegou a ficar mais de um ano sem tomar banho. Segundo ele lá não tinha chuveiro, e encontrar água era difícil, assim sendo, tomar banho era tarefa impossível. Seu único objetivo do dia era procurar alimentos para viver o dia seguinte.
Certa vez uma assistente social americana, Clare Effiong, fez visita ao depósito de lixo. Com a chegada de uma estrangeira todas as crianças foram ao seu encontro, esperando ganhar algo, Justus Uwayesu ficou quieto. Curiosa sobre o motivo ela perguntou ao garoto, por que não veio? ele respondeu: É por que meu único desejo é estudar.
Rapidamente foi colocado em uma escola de seu país, onde desde o princípio destacou-se dos outros alunos pela inteligência, era o melhor da sala. Estudando em Ruanda ele aprendeu Inglês, Francês, Suáili e Lingala, ajudando ainda a fundar uma entidade beneficente para alunos pobres do ensino médio. Pelas suas notas conseguiu pegar uma vaga na escola especializada em ciências.
Prosseguindo com seus estudos, entrou no programa de caridade de uma instituição do Arkansas que prepara jovens para entrar na universidade. Dentre os melhores alunos selecionados por Harvard do continente Africano, em toda história da universidade, até então apenas uma garota era de Ruanda. Mas desta vez foi diferente, das 25 vagas destinadas a África, três garotos de Ruanda foram selecionados por ter aptidão, dentre eles estava Justus Uwayesu.
Justus Uwayesu do lixão a Harvard
Justus Uwayesu em Harvard
Ele relata que quase morreu certa vez, enquanto buscava por alimentos um trator despejou lixo dentro de um buraco, quase foi soterrado. Vários foram os dias sentindo terror, com medo dos perigos imagináveis pela mente de uma criança, tinha muito medo de viver desprotegido. Sua moradia era um carro abandonado em meio ao lixão, dividido com seus irmãos.
Quando ia para a cidade mendigar observava um mundo intocável, era o mundo das crianças carregando livros e saindo da escola. Gostaria de fazer parte deste mundo, mas lhe parecia improvável. Para piorar as crianças do colégio quando o viam lhe chamavam de ” Nayibobo ” tendo significado em sua língua de garoto esquecido. Uma lembrança constante do esquecimento do mundo em relação à sua pessoa. Mas ele estava enganado, o futuro reservava pessoas caridosas e com intenção de auxiliar.
Agora ele está fascinado pela cultura americana, deseja aprender mais sobre ela. Estranha o fato de lá ter mendigos, pois em sua visão o país é tão próspero que é praticamente impossível diferenciar quem é rico e quem é pobre, acredita que é o país das oportunidades. Acha também que a vida é muito frenética, as pessoas são aceleradas, fazem tudo rapidamente, até seus movimentos são rápidos. Em sua terra natal as pessoas são mais lentas.
Seus amigos de quarto estão ajudando a se adaptar.

Gostei bastante deste relato, demonstra que por pior que seja uma situação, com desejo forte podemos sair dela. Talvez a vida nos reserve uma grandeza inimaginável. Você acredita nisso? comente e nos responda se você acredita ser possível um futuro brilhante para quem vive um presente terrível.

Fonte:Quer Café?







quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Ecos

Arte: Darlene Keeffe

Ecos
No silêncio
ecoa o verso.
No papel
escorre a tinta.
Não digas nada,
poeta errante.
Ouve o sino
tocar nas estrelas.
No silêncio
ecoa a palavra
que tanto esperou.
Da porta aberta
avista a paisagem,
e vive
aqui e agora
o que amanhã,
num gesto desesperado,
roubará aos amantes.
No silêncio
fugiram as rimas.
Bem sei, meu amante,
que sem elas não sou.
Mas recorda, poeta,
que nunca sei onde vou.
Dulce Morais

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Comer Cachorro Enfrenta Pressão Na Tailândia E Pode Ser Banido!

cachorro
Fonte:Matéria do Jornal The New York Times, adequada pelo Quer Café? para os brasileiros.

BAAN Klang, Tailândia – As comunidades que comem cachorros, geralmente produtores de arroz e diaristas, compreenderam que os seus hábitos culinários não são bem vistos em outras partes da Tailândia, especialmente no meio urbano, onde são considerados amorosos animais de estimação pela classe alta. As comunidades que comem cachorros sentem-se cercados.
O governo militar da Tailândia, eleito ao poder em maio, está considerando aprovar uma lei proibindo o comércio de carne de cachorro. Ativistas dos direitos dos animais estão apoiando o projeto de lei entusiasmados. Com esta medida o governo acredita melhorar a imagem internacional do país.
A polícia nacional começou uma ofensiva pressionada pelos ativistas, prendendo alguns envolvidos no comércio sob a alegação de não possuir todas as licenças necessárias para o abate e transporte dos animais. A polícia também montou operações nas florestas onde os cães são abatidos, na tentativa de pegar os ” chefões da carne de cachorro “, exportadores de vários caminhões carregados com os animais para o Vietnã e China.
No país os conhecidos como ” dog lovers “, que amam os cachorros, são em maior número em relação aos que os comem. Nas pequenas comunidades é possível encontrar os dois tipos de pessoas. Um morador de uma vila comenta:
” Nós só comemos os cães ferozes – os cães que mordem pessoas ou matam galinhas “. Disse Praprut Thanthongdee, 45 anos, agricultor de arroz que come cão desde criança. Enquanto ele falava com o repórter ele acariciava o pescoço de seu cão de estimação, Money, um vira-lata branco e marrom, cuja função é ser cão de guarda, companheiro nos arrozais, caçador de cobras perigosas e assistente no pastoreio de búfalos.
Comer cão não chega a ser uma tradição culinária tailandesa, limita-se a grupos aficionados, principalmente no nordeste da Tailândia. A prática existe a décadas, principalmente nas comunidades de origem vietnamitas. A esposa do Praprut Thanthongdee foi presa em julho e condenada a uma pena de prisão por dois anos, por administrar um pequeno mercado de carne de cachorro. Ela também foi multada em U$ 150,00, uma quantia enorme para uma família que possui três búfalos e alguns hectares de arrozais. A família está amargurada, vêem a ofensiva do governo como uma medida excessivamente enérgica contra suas tradições.
Praprut Thanthongdee ainda disse: ” A carne de cachorro é deliciosa, é parecida com carne de porco, mas sem aquela gordura toda “. completou: ” Supostamente este país não é livre? deveríamos ter liberdade para comermos o que quiser “.
O Policial que prendeu a esposa de Praprut Thanthongdee, Jantima, disse que realiza seu trabalho como uma cruzada pessoal, por ter amor e compaixão com os cães. O policial ama resgatar cães, é um amante confesso e tem quatro cães de estimação em casa. Disse ainda: ” Eu não posso ficar parado vendo os cães serem mortos para se tornarem alimentos “.
O Tenente Chaleaw Chaihung diz também amar os cães, porém alega que as autoridades não vão conseguir concretizar esta tarefa rapidamente, acabar com este comércio não é trabalho da noite para o dia, ele completou dizendo: ” Você precisa cortar um ramo de cada vez “.

A meia hora de carro de Baan Klang, na aldeia Tha Rae, vendedores de estrada vendem o produto abertamente, um tipo de carne seca de cachorro, custando U$ 7 por quilo. A Tenente Lamais diz que o comércio é concentrado na província de Sakon Nakhon há muitas décadas, mas está se elevando em escala comercial nos últimos 20 anos. Dois policiais pararam caminhões transportando aproximadamente 1.000 cães, cujo destino era Laos e Vietnã. Os policiais disseram que além da carne usam também a pele. A pele é mais fina e delicada do que o couro de vaca, é usada para fazer luvas.
O trabalho da polícia é apoiar os grupos civis que pretendem erradicar o comércio, e realizar repressão contra os fundamentos de comer carne de cachorro.
Bhurita Wattanasak é uma fazendeira da cidade de Chiang Mai, ela lidera a divisão chamada supressão da Tailândia Watchdog, um grupo civil que incentiva e fornece dicas para a polícia contra o comércio. Ela disse: ” Demorou dois a três anos para fazer a polícia perceber que esta não é uma questão para rir “. Bhurita conta que seu envolvimento com a organização ocorreu depois de ver cães sendo transportados em grandes caminhões. Ela contou: ” Havia um monte de pessoas como eu, com lágrimas escorrendo pelo rosto e sentindo-se impotente diante aquilo “.
Os membros do Watchdog se reuniram recentemente com altos oficiais militares, visando questionar pontos sobre um projeto de lei contendo direitos aos animais. Tem como base a intenção de ser explicitamente proibido matar cães para comer sua carne. Bhurita revela: ” Eles nos disseram para realizarmos mudanças, escrever o que quisermos e depois enviar “.
Os estrangeiros desempenham um papel importante na tentativa de erradicar o comércio. Celebridades britânicas como Ricky Gervais e Judi Dench foram destaque em um vídeo postado na internet no mês passado, condenando esta prática. Grande parte das doações da organização Watchdog são de origem dos Estados Unidos e da Europa.
John Dalley, co-fundados da Soi Dog, organização fundada por holandeses e ingleses residentes na Tailândia, revela que já ouviu muito o argumento de que comer cachorro deve ser permitido por ser tradição em algumas culturas asiáticas, além do mais ajuda a combater a população de cães vadios. Ele aponta que não trata-se de diferença cultural ou coisa do tipo, é puramente um negócio terrivelmente cruel, do início ao fim. Os cães são amontoados em gaiolas e não é incomum que os cães ainda estejam vivos quando são jogados em panelas de água fervente.
A polícia concorda que os cães frequentemente são tratados com crueldade. Os açougueiros dizem, porém, que o abate de cães é tão humano quanto possível. Comentam: ” Não é diferente do abate de outros animais de onde obtemos carne “. Um açougueiro permitiu um repórter testemunhar o abate. O cão foi morto com um golpe repentino na cabeça, houve sangramento e o cão pareceu estar morto dentro de poucos segundos. O açougueiro disse ainda que mata cães problemáticos ou indesejáveis.
Existe um refrão entoado como argumento dos que comem carne de cachorro: ” Muitos dos que dizem serem amantes dos cachorros, acabam por abandonar o seu animal de estimação em templos budistas, isso agrava o problema dos cães vadios na Tailândia “.
Kawai Thanthongdee, 66 anos, argumentou: ” Os cães são o melhor amigo do homem, sei disso desde quando era jovem, mas alguns cães merecem ser mortos “.

domingo, 16 de novembro de 2014

O PODER DA ORAÇÃO

Em meio ao desespero surge o poder da fé.
Uma mulher vestida de forma simples e com um rosto sofrido entrou em uma loja. Se aproximou do dono e envergonhada perguntou se poderia levar alguns produtos e pagar depois. Com uma voz suave, ela explicou que seu marido estava muito doente, e que não podia trabalhar, que tinham sete filhos e precisavam de alimentos.
O dono da loja, inflexível, pediu para que a mulher fosse embora. Porém, a mulher pensando em sua família continuou implorando: ” Por favor senhor, eu pagarei assim que puder “. O dono da loja negou dizendo que não poderia dar crédito para uma pessoa que ele não conhecia.
Perto da entrada da loja estava um cliente que escutou a conversa. O cliente se aproximou e disse ao dono que ele se responsabilizaria pelas compras da mulher, mas ele ignorou. O dono da loja se virou para mulher e perguntou:
– Você tem uma lista de compras? e ela respondeu:
– Sim senhor.
– Está bem…coloque sua lista na balança e o quanto pesar sua lista eu vou lhe dar em alimentos, disse ele.
Ela hesitou por um momento, e de cabeça baixa pegou em sua carteira um pedaço de papel e escreveu sobre ele. Em seguida, com receio, a mulher colocou o papel na balança. Ao fazer isto a balança abaixou de uma vez, como se tivesse colocado uma pedra sobre ela. O dono da loja e o cliente olharam com espanto e admiração. O dono da loja começou a colocar alimentos do outro lado da balança, mas ela nem se mexia, então ele continuou a colocar mais e mais alimentos, mas como a balança nunca se igualava, ele não aguentou e pegou o pedaço de papel para ver se havia algum truque.
O dono da loja olhou o papel e leu com espanto… não era uma lista de compras, era uma oração que dizia: ” Querido Deus, o Senhor conhece minhas necessidades, deixo esta situação em suas mãos “.
O dono da loja deu a mulher todos os alimentos que estavam na balança e ficou em silêncio enquanto a mulher saía da loja.

Fonte: Quer Café?

PRISÃO

Foto: Security _ Anonymous
Sabes como é,
quando queres sair de ti mesma e
não consegues?

Avanças resoluta para a porta
e descobres
que já não há porta,
apenas parede,
que te rodeia.

Prisão.

Não há pior do que a da mente.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

O DIÁRIO DE MACHINE: A OSTENTAÇÃO DO “TER” E A DEGRADAÇÃO DO ”SER” por Danka Maia




A OSTENTAÇÃO DO “TER” E A DEGRADAÇÃO DO ”SER”






Faz tempo que não paro para escrever esse tipo de artigo como de hoje. Por inúmeros motivos, razões e afins, mas tem hora que nos deparamos com certas coisas que mexem no âmago nos nossos princípios, do nosso costume , daquilo que nossos pais nos ensinaram e que levamos uma vida para construir e a gente necessita, precisa, carece se posicionar de defender naquilo que cremos. Em primeiro lugar quero deixar claro a máxima: ”Gosto não se discuti.” Então quem gosta, acha o Supermega legal, ok, quanto a mim falarei o que penso, o respeitar precisa existir para haver o respeito. Tenho acompanhado movimentos musicais como “Funk Ostentação” e ontem vendo uma reportagem me deparo com o “Forró Ostentação”, confesso que enquanto ia vendo a matéria ia me indignando como pessoa de um jeito que há muito não acontecia. Na matéria, os músicos argumentavam que a razão pela qual suas canções possuem letras que enaltecem TER o melhor carro, a melhor bebida, roupas de marca, casas luxuosas e etc., é porque quer desejam que seus ouvintes se despertem para TER as melhores coisas da vida, que todo mundo quer TER o que tem de bom, o que é de qualidade e que suas letras despertam a ideia do não desistir de seus sonhos. Então comecei a refletir mesmo não crendo no que via: ‘ Como assim TER tornou-se melhor que SER?”
  Sou de uma geração onde os versos exaltavam a consciência política, social, onde o SER era infinitamente maior do que o TER, aliás, o TER  não era se quer lembrado. Creio piamente que não sou a única pessoa que valorizam o SER. A importância  de
SER educado!
SER trabalhador!
 SER honesto!
 SER generoso!
 SER humilde!
SER humano!
 Onde  ressaltar numa letra de música para que alguém não desista de seus sonhos cabia no verso:
“Quando não houver saída
Quando não houver mais solução
Ainda há de haver saída
Nenhuma ideia vale uma vida
Quando não houver esperança
Quando não restar nem ilusão
Ainda há de haver esperança
Em cada um de nós, algo de uma criança.”

E o valor dos sentimentos jazia em:

 “ É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. Porquê se você parar para pensar, na verdade não há.”

Não sou obrigada, nem posso permitir que minhas sobrinhas, alunos, sejam intoxicadas com essas letras tão cheias de palavras torpes que de verdade só enchem mesmo o bolso de quem as produz e cantam. E que na dura realidade só, e tão somente esvaziam as mentes dessa geração que já carrega tão pouca consciência moral, política, social.
  É claro que não vivo numa utopia socialista, seria hipocrisia da minha parte. É óbvio que as pessoas lutam para ter o melhor, desfrutar e poder dar aos seus familiares o mesmo. Mas a questão é:

SER humano ou TER humanos a sua volta em virtude do que você tem?

 Eu creio que a Sociedade precisa desesperadamente parar e agir sobre alguns valores, para que nós não percamos ainda mais do muito que já perdemos por essas distorções morais implícitas nessas ideias das “modinhas” musicais que sempre esbarram na frase: “ Ah, mas não tem nada haver?”


Talvez já passou da hora de rever e agir sobre nossos princípios.

Lugares Tão Misteriosos Quanto a Área 51







INTERESSANTE...


Agora que o governo norte-americano confirmou a existência da Área 51, tem muita gente por aí acreditando mais do que nunca que nosso planeta pode ter algumas áreas de acesso a visitantes de outros planetas. Essas pessoas basicamente defendem a ideia de que o Universo é muito grande para acreditarmos que somos os únicos seres vivos nele. Será? A Trutv fez uma lista com alguns lugares de curiosas especulações a respeito do pouso de naves extraterrestres. Confira alguns desses lugares a seguir e depois nos diga o que você acha dessas especulações. Será que elas fazem algum sentido?

1 – Caribe

Fonte da imagem: Reprodução/Trutv
Entre as paisagens encantadoras das ilhas caribenhas há um espaço dedicado a estudos submarinos. Esse lugar, conhecido pela sigla Autec – de Atlantic Underwater Testing & Evaluation Center – é considerado por muitos como a versão marinha da Área 51. O Autec já teve inúmeros relatos de aparições de UFOs – os temidos objetos voadores não identificados.
Além disso, a região teve registros de USOs, que são objetos submarinos não identificados. Você já tinha ouvido falar disso? Outra coisa que deixa essa história bastante interessante é a localização da área: ela fica na ilha de Andros, nas Bahamas, o que a deixa bem no meio do temido Triângulo das Bermudas.

2 – Vale do São Luís, no Colorado

Fonte da imagem: Reprodução/NationalGeographic
Essa região linda e aparentemente calma tem relatos não apenas de aparições de UFOs, mas também de espíritos, fantasmas, sombras bizarras, luzes estranhas e até mesmo humanos voadores. Detalhe: o vale fica localizado em meio a várias bases de treinamento militar.

3 – Triângulo-M, na Rússia

Fonte da imagem: Reprodução/Trutv
Esse lugar imenso, deserto e cheio de árvores sombrias já foi conhecido como “o paraíso na Terra”. Da mesma maneira que acontece no Vale do São Luis, o Triângulo-M também tem registros de aparições de UFOs, fantasmas e luzes estranhas. Muitos visitantes do lugar afirmam que saem de lá com a sensação de que estão melhores: tanto mental quanto fisicamente. Há até mesmo quem afirme que teve doenças graves curadas apenas pelo fato de andar pelos campos do local. Ficou interessado em conhecer? Basta ir até os Montes Urais, na Rússia.

4 – Tonopah, em Nevada

Fonte da imagem: Reprodução/Trutv
Essa região é localizada a pouco mais de 100 km da Área 51. O local é tão secreto que nem mesmo os membros da comunidade de Inteligência dos EUA falam a respeito. Há inúmeras especulações a respeito de aparições de UFOs no local misterioso.
Uma das áreas de teste de Tonopah, a F-117, abrigava alguns aviões furtivos e foi mantida em segredo absoluto por anos, sendo que apenas o presidente dos EUA e poucas de suas pessoas de confiança sabiam da existência do esconderijo. A área supersecreta já não abriga esses aviões, mas a base continua funcionando. O que será que é feito lá agora?

5 – Aksai Chin

Fonte da imagem: Reprodução/Trutv
A região fica localizada nas montanhas do Himalaia, entre a Índia e a China. Muitos moradores desse lugar afirmam presenciar a chegada de UFOs regularmente – algumas pessoas dizem que lá, quando as crianças fazem desenhos a respeito da própria vida, costumam inserir objetos voadores em seus cenários. E aí, será que é verdade?
FONTE(S)
IMAGENS

6 mitos ou mentiras sobre a religião Wicca

Você sabe o que é Wicca? Para quem não tem conhecimento, trata-se de uma religião reconhecida em 1986, mas que muitos dizem ser a mais antiga do mundo. Nela, os homens e as mulheres interagem com a natureza em festivais conhecidos como sabás que celebram os ciclos da vida e afirmam o poder sobrenatural (como a magia).
Os wiccanos se consideram bruxos e bruxas e, segundo eles mesmos, são um grupo incompreendido pela sociedade e pelas outras religiões. Existem várias crenças sobre a Wicca que estão muito desatualizadas ou são completamente falsas, dizem as pessoas que são membros. Confira aqui seis equívocos sobre a bruxaria e os seus adeptos segundo alguns livros.

Wiccanos adoram o diabo

Graças à ignorância de muitas pessoas, os seguidores da Wicca são muitas vezes confundidos com os satanistas, mas a verdade é que os adeptos dessa religião não acreditam no demônio. Aliás, os conceitos do diabo e do inferno fazem parte da teologia cristã e nunca existiu na Wicca, de acordo com o livro "Crenças e Práticas da Wicca".
Além disso, os wiccanos também não acreditam em um Deus único, todo poderoso, mas sim em vários deuses e deusas, segundo a "Wicca Essencial". Assim, a prática é uma religião politeísta, entrando na mesma categoria que outras religiões, como o budismo e o hinduísmo. Portanto, wiccanos não adoram o diabo de forma alguma.

A Wicca tem uma "bíblia negra"

De forma alguma, tanto que os wiccanos não seguem nenhuma bíblia. O que pode estar em questão é o "Livro das Sombras" (LdS) do qual muitos seguidores fazem por si mesmos. Alguns mestres podem até passar isso para os seus alunos, mas esse objeto pessoal serve como um livro de referências para os wiccanos, de acordo com o "Viver para Wicca".
O LdS também é conhecido como o livro espelho ou um diário mágico, mas trata-se de um livro personalizado em que os wiccanos anotam informações e registros que eles achem úteis para praticar a fé. Isso não é obrigatório para os seguidores, mas quem deseja fazer escreve sobre os mitos, cerimônias, feitiços, rituais, registros de sonhos, entre outras coisas.

As bruxas são do mal

Foi graças a esses sentidos negativos sobre a palavra bruxaria que alguns adeptos da Wicca pararam de referir a si mesmos como bruxos e passaram a receber o nome de wiccanos, de acordo com o livro "Wicca de A a Z". É bom que se saiba que a religião se opõe ao uso de magia prejudicial e desestimula as pessoas a ferir os outros fisicamente ou emocionalmente.
Aliás, já ouviu falar na "Lei Tríplice"? Essa é a diretriz ética que os wiccanos acreditam. Ou seja, tudo o que desejamos para uma outra pessoa, hora ou outra, retorna para nós mesmo três vezes mais forte. Portanto, a Wicca prega que devemos desejar sempre o bem para recebermos o mesmo. É o que diz o livro "Espiritualidade Wicca".

A Wicca não é uma religião verdadeira

Claro que é, tanto que a Wicca foi reconhecida pelo governo dos Estados Unidosda América como uma religião oficial, contando até com feriados da religião que variam de estado para estado. De acordo com o Departamento de Educação de Nova Jersey, hoje em dia já são reconhecidos cerca de oito feriados wiccanos.
Entre eles, está incluso o Mabon, feriado que marca o início do outono e é comemorado no dia 23 de outubro. Nesse dia, crianças wiccanas são dispensadas de frequentar a escola para a comemoração. Além desse, existem alguns outros, mas que são desconhecidos pela maioria da população.

Wicca é uma religião antiga

Você vai se surpreender ao saber que não, ela não é uma religião antiga. Embora a Wicca seja baseada em crenças antigas, incluindo elementos do paganismo e espiritualidade baseada na natureza, ela foi fundada pelo antropólogo Gerald Gardner no início de 1950, de acordo com o livro "Grupos Mágico-Religiosos e Atividades Ritualísticas".
"Wicca é uma religião nova que combina sobreviventes de tradições folclóricas e elementos mais modernos. Ela é vagamente baseada em ritos ocidentais europeus e rituais pagãos que foram realizados ao longo dos séculos, antes, durante e depois de Jesus, com a reverência da natureza, ciclo das estações, celebração da colheita e o ato de fazer magia", segundo a "Wicca para Iniciantes".

Wiccanos sacrificam animais

Leve em consideração que a Wicca é considerada uma religião baseada na natureza. Dessa forma, os seus seguidores são incentivados a amar e respeitar todos os seres vivos. Os wiccanos fazem oferendas para os seus deuses escolhidos, sim, mas esses sacrifícios incluem pães, frutas, vinhos ou flores, segundo a "Bíblia da Wicca".
"Nós bruxos amamos animais. Nós nunca prejudicaríamos ou mataríamos esses seres em nossos rituais e magias. Aliás, sacrifício de sangue de qualquer tipo é contra a nossa lei. Isso de olho de salamandra e pé de sapo é um absurdo inventado", de acordo com "O Livro de Bolso da Wicca".

terça-feira, 4 de novembro de 2014

O Que Tem na Caixa hoje?

Olá!

E não é que depois de algum tempinho sem abrir nenhuma caixa, hoje, vamos abrir uma que eu espero que gostem dessa novidade nacional que já está causando uma boa impressão por onde passa. Então você me pergunta, lá vem mais um romance?
Então eu digo Sim! Mas não é qualquer romance, é um romance mais pesado que o céu, você quer saber o nome? O livro chama-se Entre o Céu e o Inferno da escritora Simone Pesci.




Eu tive o prazer de  conhecê-la pessoalmente  na Bienal de 2014 no estande da  Editora Tribo das Letras.

O que conta Entre o Céu e o Inferno.

O que fazer quando o inferno parece ser a sua única morada?
E sentir que o céu sempre escapou entre seus dedos...
( esse era o meu questionamento enquanto lia esse romance/drama)


O livro traz a história de Alex ( que na minha humilde visão é uma sobrevivente nesse mundo sem cores) que vive de pequenos golpes ao lado de dois ‘amigos’, numa cidade constante como São Paulo onde os prazeres e desprazeres é servido como um belo banquete para os desavisados e então a jovem Alex marcada por uma infância destruída por aqueles que deveriam protege-la , dá o lugar para uma mulher esperta e sedutora que ‘pegava’ esses pobres milionários desavisados...

Até um dia  um golpe deu errado e ela ficou presa na teia de um homem muito poderoso e perigoso.

Então você pensa então esse cara pode salva-la?
A resposta é não, porque o amor verdadeiro ela já tinha conhecido...

Conheçam o inferno de Alex...

Marcada pelo abandono e pelo abuso, e de perigosos golpes. O lado negro de Alex nunca é só abatido por álcool ou por tarjas pretas, ele é mais fundo e escuro.

E nele aparece um homem com o nome de Juan.
Ele é o Tormento.


Conheçam o céu de Alex...

Para saber se está no inferno, primeiro você tem que ter conhecido o céu e ela conheceu no passado, no meio tumultuoso da infância para a adolescência uma família, mãe e filho.

Um amigo, o único amor, uma família que lhe trazia carinho e compreensão.
Era nesse mundo que ela conheceu Max.
Ele era o seu Salvador.


E, além disso, Alex ainda tem muito que descobrir uma das coisas mais triste e chocantes é sobre o seu nascimento.

O que você faria se descobrisse que o homem que sequestrou era na verdade o seu pai?
 
Tenso? Emocionante? Curiosidade??

Então não perca esse romance que tem cenas eletrizantes, emocionantes e em alguns pontos nos faz questionar sobre nossas vidas e escolhas. E além de tudo o que acontece quando dá as costas para um inocente...

O livro tem uma trilha sonora  de puro Rock.
E não deixou pontas, o ciclo da vida de Alex fechou completamente com os acertos e erros.



*O livro é contado na primeira pessoa e isso ajuda muito para sentir as versões de Alex e todo o seu sentimento e revoltas como também conhecemos o lado de Max, o garoto que cresceu também marcado por uma tragédia.


O livro é muito bom. Recomendo.

Obs: A atriz Marjore  Estiano é a descrição de Alex ;)


Quer mais noticias, e onde comprar o seu exemplar  e novidades  sobre o livro, aqui estão os links e venha conhecer o trabalho dessa escritora nacional Simone Pesci.




No skoob:



O  blog:



Pagina no Facebook :



Quer uma degustação? Veja:



Gostaram?


Até a próxima caixa!











As imagens foram retiradas do Google.