Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

Soltando A Boca No Livro por Danka Maia

 

SAUDAÇÕES LITERÁRIAS!


    Bem, é claro que jamais deixaria de fora do meu blog minha opinião como LEITORA, dos livros que me são enviados.E uma vez lido, me sinto com todo direito do mundo em opinar sobre os mesmos.

Agora...Vamos esclarecer uns detalhes:


1-É a minha opinião.Ponto!
2-Não é troca de favores, PARCERIAS, estão em outra página, amores!
3-Nenhuma resenha da minha parte vai desembocar no pessoal, até porque seria muita leviandade da minha parte, Homessa!
4-Fica aberto ao escritor ou leitor rebater o que eu mencionar, gosto de polêmicas, e das boas, e creio que é assim que crescemos e chegamos em algo perto da perfeição, porque perfeito, desistam, jamais seremos!
5-E respeitar a obra do colega escritor sempre será meu lema,do contrário, jamais seria Danka Maia.











SOLTANDO A BOCA NO LIVRO COM NORTON FLANE

"No dia em que matei Richard todos acreditaram em mim. Claro, pensei bem antes de matá-lo. Tudo estava bem maquinado em minha mente. Não havia como descobrirem."



 Bem, já fazia um tempinho que não "Soltava A Boca No Livro", não é galera? Foram tantas coisas, coisas boas, claro. Mas, cá estamos nós de novo!
Hoje tenho o prazer de analisar, se bem não gosto muito desta palavra, como leitora a obra de Gabriel A.Campos.

 



Ressaltei a citação acima porque ela tem uma frase que para mim deve ser ordem na mente de um escritor: "Tudo estava bem maquinado em minha mente.", na minha módica opinião esse é o segredo de uma boa obra quando leio ou escrevo.Adoro ter a sensação que a trama é como um touro bravo que foi devidamente amansado pelo seu vaqueiro. E foi o que a trama de Gabriel me proporcionou. Sua escrita é simples,porém bem conduzida.A trama me remete doces lembranças que explodiram e deram corpo ao enredo de modo enriquecedor. Gabriel tem talento e uma narrativa que te prende ao que está sendo proposto.


  É uma aventura e tanto!


  É um misto intrigante de magia, poderes, mas sinceramente eu gostei.


  Entendo que Campos tenha ainda uma estrada a caminhar e cartas na manga para escrever pelo pude sentir.No entanto desde já, posso dizer:



NORTON FLANE & Telicinésio????????????????????????????




 EU INDICOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!


































 


























CLICK AQUI PARA ADQUIRIR SEU EXEMPLAR



O livro que tive o prazer de ler no último mês, inda que minha vida seja uma constante e deliciosa correria, me fez ter o desejo de parar para  ler com muita tranquilidade, e essa foi a primeira coisa que me chamou atenção na obra de JONATHAN GONÇALVES.Confesso, que as vezes chegou a ler cinco  livros numa semana  fora os que escrevo,o que leio para mim,e fora a minha vida, que embora não pareça Danka Maia "La Dama Machine", possui também um história para ser vivida lá fora.No entanto, Essa Também Sou Eu!
Não conhecia Gonçalves,vim a conhecê-lo por intermédio de um amigo em comum,J.F.Nascimento, nosso nobre Professor Da Língua Portuguesa daqui do Danka Machine.Trocamos  poucas palavras, no início admito que prefiro, porque entendo como mais fácil analisar como leitora a obra.

 E enfim, vamos falar sobre "FRAGMENTOS DE ADEUS"?

Cada poema do autor tem uma atmosfera que faz com que você se concentre e se centralize de alguma maneira, uma espécie de exigência muito bem camuflada e sabiamente imposta.

E foi o que fiz.

E foi o que me encantou!

As palavras de Jonathan não são adocicadas, nem sempre são envoltas num véu de  sofreguidão e  amargura como a maioria das poesias.Eu me atrevo falar que ele tem um jeito muito singular de exprimir e imprimir seus sentimentos numa narrativa,inda que poética em seu complexo e muito bem elaborado ser. É como vê-lo sem notá-lo, ou seja, enigmático! Portanto,uma leitura atraente!
E foi então que compreendi parte do título, porque se não me falha a memória, são quarenta e cinco pedaços de emoções, pensamentos, êxtase, fleuma, traduzindo: Quarenta e cinco fragmentos de Jonathan Gonçalves.

Excelente narrativa, e o que me inquieta nele é a paz de espírito que tem nos seus versos, que é no mínimo louco!

Ressalto o que mais me identifiquei:




O POEMA QUE MORRE EM MIM
Deixa-me triste e cabisbaixo
Mais dentro que por fora
Olho tudo e vejo falta
A obviedade das coisas me fadiga
O grito contido me assola
E quando a dor é grande demais
Começo liricamente a divagar
A elaborar teorias mirabolantes
Que o cientista mais rígido pode repudiar
- O que me importa
Se o devaneio tornou-se meu refúgio?-
Penso na décima sétima dimensão
No paraíso além do abismo
Penso que lá existe eu mesmo
Apenas mais translúcido e poetizado
Que estou a semear os poemas que matei
E quando tudo vira flor
Presenteio-me com o mais belo girassol
E sorrio amarelo em meio às plêiades e nebulosas
Que enfeitam meu jardim.
A cabeça voa longe demais
Mas meu peito sangra.
O poema que morre em mim.




De olhos fechados e sem mede de errar, você é um poeta brilhante!


Portanto caros e nobres leitores, FRAGMENTOS DE ADEUS?


EUUUUUUUUUU   INDICOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!





Beijocas Literárias!

























-... “nada garante que se conseguirem sair daqui suas vidas serão melhores, ou iguais à de antes, nem mesmo podem garantir que serão os mesmos, estão lutando por uma vida que não existe mais”.

 Decidi iniciar a análise do exemplar de "MEDO DA VERDADE"  com está citação do mesmo.Jéssica Morgan foi uma feliz surpresa, sem delongas.

 Descreve  sua trama com tranquilidade,requinte nos detalhes e usa um ingrediente que tanto como leitora ou escritora amo:O DESTINO.

Essa lei mágica e fascinante que uns amam ou não, uns creem outros jamais.

A única ressalva que faço como LEITORA, é que você não pare linda. Sim, há melhorias a acertar, mas quem de nós não tem? Para se achar "A ou O Escritor/a" tem que no mínimo ter enlouquecido pelo disparate.Amei seu jeito humilde de ser e se colocar,e francamente adoraria um dia poder elaborar algo contigo menina!

Você é muito talentosa! Arrisco dizer: BRILHANTE!

E  como escolhi parte de seu texto,termino  torcendo para que sua vida como autora jamais seja a mesma, e que cada vez seja mais impactante e original como seu capacidade!



MEDO DA VERDADE????




EU INDICOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!